Fimose é uma condição em que a pele do prepúcio não pode ser retraída sobre a glande peniana.

A maioria das crianças nasce com fimose e isto não significa que necessitem de cirurgia.

“Excesso de pele” não significa fimose.

Ao contrário dos adultos, tal condição, na maioria das crianças, não necessita de tratamento. Principalmente até os 3-4 anos de idade, a fimose é considerada fisiológica (ou seja, normal para a idade) e, em muitos casos, resolve espontaneamente.

Quando indicado e de acordo com a avaliação do médico, o tratamento pode ser realizado com medicação tópica (pomada específica) ou com cirurgia.

Não há indicação de realizar a retração forçada da pele prepucial com a intenção de “abrir a fimose”.

Importante evitar uso prolongado e sem prescrição médica de “pomadas”, pois estas podem acarretar complicações locais.

Quando necessário, o próprio Pediatra costuma solicitar parecer do Cirurgião Pediátrico para saber se a criança tem indicação ou não de ser submetida à correção cirúrgica (postectomia).

Como todo procedimento cirúrgico, a postectomia não é isenta de risco de complicações.